90 anos do Asilo

Cabeçalho-02

Quadros Web-01

Em 1922 a construção do Asilo foi autorizada e o projeto arquitetônico iniciado. As obras iniciaram em agosto de 1924. Foi fundado em 30 de outubro de 1926, pelo então presidente de Estado da Província do Paraná, Caetano Munhoz da Rocha.

Quadros Web-02

Desde a sua fundação até o ano de 2004 a instituição foi administrada pela Congregação das Irmãs Passionistas. A primeira Superiora foi a Irmã Angela da Conceição (esq). Foto de 1929

O Asilo iniciou suas atividades como ‘Lar de Mendicância’ recebendo 14 homens, 16 mulheres e 12 meninas. Um ano depois o número de asilados chegou a 109. Em determinados períodos chegou a ser de mais de 400 pessoas.

O Asilo iniciou suas atividades como ‘Lar de Mendicância’ recebendo 14 homens, 16 mulheres e 12 meninas. Um ano depois o número de asilados chegou a 109. Em determinados períodos chegou a ser de mais de 400 pessoas.

A fachada do Asilo se tornou um símbolo do local. As fotos registram meninas da Escola de Preservação e Reforma que funcionava em anexo (1). Ala feminina de assistidas em 1933 (2). População assistida – Homens e Mulheres – em 1939 (3). Grupo de idosas e colaboradores da Ação Social do Paraná em 2015 (4).

A fachada do Asilo se tornou um símbolo do local. As fotos registram meninas da Escola de Preservação e Reforma que funcionava em anexo (1). Ala feminina de assistidas em 1933 (2). População assistida – Homens e Mulheres – em 1939 (3).
Grupo de idosas e colaboradores da Ação Social do Paraná em 2015 (4).

A Igreja Católica de Curitiba sempre teve vínculo com o Asilo. Coincidentemente, o ano da fundação do Asilo é também o ano em que a Diocese de Curitiba foi elevada a Arquidiocese. Desde a fundação existe uma capela no local, vinculada à Paróquia do Senhor Bom Jesus do Cabral.

A Igreja Católica de Curitiba sempre teve vínculo com o Asilo. Coincidentemente, o ano da fundação do Asilo é também o ano em que a Diocese de Curitiba foi elevada a Arquidiocese. Desde a fundação existe uma capela no local, vinculada à Paróquia do Senhor Bom Jesus do Cabral.

Em 14 de julho de 1952 aconteceu o lançamento da pedra fundamental da nova capela, construída como uma instalação anexa ao Asilo. O então Arcebispo de Curitiba, Dom Manoel Silveira D’Elboux celebrou a primeira missa na inauguração em 1955.

Em 14 de julho de 1952 aconteceu o lançamento da pedra fundamental da nova capela, construída como uma instalação anexa ao Asilo. O então Arcebispo de Curitiba, Dom Manoel Silveira D’Elboux celebrou a primeira missa na inauguração em 1955.

As instalações foram passando por reformas e ampliações ao longo dos anos. Para atender homens e mulheres asilados, além de meninas na Escola de Reforma, houve períodos em que foi necessário aproveitar os porões como dormitórios.

As instalações foram passando por reformas e ampliações ao longo dos anos. Para atender homens e mulheres asilados, além de meninas na Escola de Reforma, houve períodos em que foi necessário aproveitar os porões como dormitórios.

Instalações na década de 50. A cozinha passou por uma reforma, recebendo aparelhamento completo em 1957 (1). Refeitório dos asilados (2) e o refeitório das Irmãs (3). Nesta época o Asilo contava com consultório médico (4) no local.

Instalações na década de 50. A cozinha passou por uma reforma, recebendo aparelhamento completo em 1957 (1). Refeitório dos asilados (2) e o refeitório das Irmãs (3). Nesta época o Asilo contava com consultório médico (4) no local.

Em dezembro de 1967 um decreto transformava o Asilo em um estabelecimento destinado a “dar guarda à velhice desamparada”. Os homens idosos foram transferidos para o Recanto do Tarumã e em 1969 as meninas da Escola de Reforma foram encaminhadas para o Lar Yvone Pimentel.

Em dezembro de 1967 um decreto transformava o Asilo em um estabelecimento destinado a “dar guarda à velhice desamparada”. Os homens idosos foram transferidos para o Recanto do Tarumã e em 1969 as meninas da Escola de Reforma foram encaminhadas para o Lar Yvone Pimentel.

Nos dias 5 e 6 de julho de 1980 o Papa João Paulo II fez uma visita a Curitiba. No segundo dia de sua passagem pela capital ele celebrou uma missa no Centro Cívico, onde abençoou as idosas do Asilo São Vicente de Paulo que acompanhavam a celebração.

Nos dias 5 e 6 de julho de 1980 o Papa João Paulo II fez uma visita a Curitiba. No segundo dia de sua passagem pela capital ele celebrou uma missa no Centro Cívico, onde abençoou as idosas do Asilo São Vicente de Paulo que acompanhavam a celebração.

Madre Antonieta Farani, nascida Maria Concetta Farani em 29 de julho de 1906, foi considerada Venerável pelo Vaticano – a primeira brasileira – em 13 de junho de 1992. Foi a oitava Superiora no Asilo, no período de 1941 a 1946.

Madre Antonieta Farani, nascida Maria Concetta Farani em 29 de julho de 1906, foi considerada Venerável pelo Vaticano – a primeira brasileira – em 13 de junho de 1992. Foi a oitava Superiora no Asilo, no período de 1941 a 1946.

No dia 1º de outubro de 2003 foi sancionado o Estatuto do Idoso. Os asilos passaram a ser chamados de Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI). Em 2004 a gestão do Asilo passa para a Fundação Educacional Itaqui.

No dia 1º de outubro de 2003 foi sancionado o Estatuto do Idoso. Os asilos passaram a ser chamados de Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI). Em 2004 a gestão do Asilo passa para a Fundação Educacional Itaqui.

Uma atitude de vanguarda adotada foi a criação, em 2005, do Centro Dia, uma modalidade de atendimento onde o idoso mora com a família e passa o dia na instituição, sob a supervisão de profissionais especializados na terceira idade.

Quadros 50x70_Page_14

Em 2009 a administração do Asilo passou para a Ação Social do Paraná – ASP, entidade que atua desde 1944 no Estado. Em sua gestão, a ASP procura também ser protagonista na luta pela consolidação de políticas públicas para a pessoa idosa, participando de conselhos e fóruns de direitos.

2016. O Asilo é responsável por garantir o bem-estar de 160 idosas. No local, elas contam com todos os cuidados diários e com um atendimento humanizado, incentivando a autonomia e respeitando a individualidade.

2016. O Asilo é responsável por garantir o bem-estar de 160 idosas. No local, elas contam com todos os cuidados diários e com um atendimento humanizado, incentivando a autonomia e respeitando a individualidade.

Promover a qualidade de vida e o resgate à dignidade da pessoa idosa – esta é a razão de existir do Asilo São Vicente de Paulo.